Artigo escrito

  • em 05.10.2009
  • às 05:09 PM
  • por sebraerj

Qual é a importância da elaboração de um planejamento estratégico de negócios? 6

out5

Mensalmente, milhares de pessoas em todo o país, fazem esta pergunta para atingir um objetivo comum: transformar a sua idéia em um negócio e ainda, fazer deste futuro empreendimento um meio para atender os seus desejos pessoais, profissionais e financeiros, no menor espaço de tempo possível.

Para compreender a resposta a esta indagação, o empreendedor precisa perceber que o planejamento estratégico de negócios é mais que um local destinado à inserção de dados. Ele pode ser uma ferramenta para lhe oferecer a confiabilidade necessária nas informações colhidas, para assim realizar as interpretações corretas das análises financeiras e do mercado.

O planejamento de negócios contém um cronograma lógico e prático que possibilita ao empreendedor a inserção dos mais diversos dados sobre o futuro negócio.

Trata-se, portanto, do primeiro contato do empreendedor com o universo empresarial e de suas relações com uma empresa, proporcionando-lhe a oportunidade de conhecer o próprio empreendimento, como também os mercados (fornecedores, consumidores e concorrentes) com os quais irá se relacionar.

O planejamento estratégico de negócios pode ser dividido em três fases:
1. Convencer: fase em que o empreendedor precisa se convencer de que a sua idéia pode se transformar em um negócio promissor; Para ultrapassar esta fase, o conhecimento sobre a atividade empresarial escolhida é vital. Sem esta base, é muito arriscado seguir adiante.
2. Avaliar: fase da inserção da idéia no mercado, avaliando financeira e mercadologicamente o empreendimento e preparando a relação da futura empresa com o ambiente de negócios;
3. Agir: fase em que a idéia está se transformando em empreendimento.

Neste momento, o planejamento assume também a função de orientar e coordenar a futura empresa, tanto para que o empreendedor siga a cronologia correta das ações, como também para que não ultrapasse os seus limites financeiros e operacionais.

Portanto, a importância do planejamento estratégico de negócio está na captação, elaboração e, principalmente, no bom senso em avaliar o conjunto de fatores de viabilidade financeira e mercadológica, que possibilitarão ao empreendedor coordenar um plano de ação, através do caminho mais adequado para a abertura da sua empresa.

________________________________________________________

Texto extraído do manual Gestão da Micro e Pequena Empresa. Uma publicação do Sebrae/SP em parceria com a Casa do Contabilista de Ribeirão Preto.
Este texto é de responsabilidade do seu autor não refletindo, necessariamente, a opinião do Sebrae/RJ

Acompanhe os comentários via RSS

Existem 6 comentários para este assunto

  1. Felipe Barreto - Mobits disse:

    Excelente dica!
    É impressionante o efeito que um PE causa numa empresa. Há pouco mais de um ano atrás, definimos o primeiro PE e buscamos alcançar todas as nossas metas. Mais recentemente, percebemos que todos começaram a trabalhar sem foco, os projetos que chegavam não tinham um critério bem definido para serem aceitos ou não. Foi aí que descorbimos que o escopo do primeiro PE chegou ao fim: atigimos as principais metas e perdemos completamente o rumo em pouco tempo.

    Estamos com nosso próximo PE marcado para este fim de semana e esperamos retomar a dinâmica e o crescimento dos meses anteriores.

    Mais uma vez o PE mostrou-se indispensável para o nosso negócio.

  2. Igor Fernandes disse:

    Como ter base de um empreendimento que no qual teve contato ?

    Como acessar esses tipos de informações em um mercado altamente competitivo, onde o diferencial é a inovação ?

  3. Ricardo Coelho disse:

    Estou montando uma empresa de doces finos, mandei elaborar um
    folde com com os desenhos e preços. farei a distribuição ao redor
    da onde moro e tem um grande SHOPPING e farei o mesmo.
    Estou no caminho certo na minha estratégia.

    Abs,

  4. Luiz Carneiro disse:

    E quando o planejamento estratégico fica comprometido pela falta de vendas em funçao de um esfriamento no mercado. Obs: Acabou o capital de giro e já usou todas as linhas de credito ????

  5. Marcos da Silva disse:

    Normalmente quando iniciamos um negocio e com ele o primeiro PE, ficamos fora dos rendimentos do negocio, com o minimo de prolabore para sobreviver, todo o excedente fica na empresa para lhe dar folego financeiro que normalmente só irá respirar bem depois de 2 anos, mas mesmo assim estamos sujeitos a varias inteperies que fogem ao nosso controle ou seja não entrou no nosso 1º PE; Parabens ao Sebrae RJ, abraço a todos.

  6. VERONICA MUNIZ disse:

    Como posso adquirir o manual da micro e pequena empresa?

Por favor, sinta-se livre para comentar

* campos obrigatórios

Assuntos mais buscados

Administração de recursos humanos Administração do tempo Atendimento ao cliente Capital de giro Comércio eletrônico Comércio eletrônico para micro e pequens empresas Crédito Custos Empreendedor individual Empreendedorismo Estratégia Faturamento Finanças Franquia Gestão de estoques Gestão de pessoas Gestão do conhecimento Gestão empresarial Informática Inovação Internet Legislação trabalhista Lucro Mão de obra Marketing Meio ambiente e sustentabilidade Mercado Negociação Pesquisa de mercado Planejamento Plano de negócios Podcast Precificação Produtividade Propaganda Publicidade Qualidade Responsabilidade Social Tecnologia Tendência Tratamento tributário Tributos Vídeo Varejo Vendas